Utopia

sleep at night

Não sei se acredito no mundo, se acredito no ser humano. Eu basicamente sinto que dependo de que as pessoas tenham um surto, ou algo assim, de clareza e parem de recriminar e boicotar o bem estar dos outros, que todos possam viver em paz. Que haja igualdade.
Sinto que é acreditar numa utopia, sinto que devo talvez me conformar que, pelo menos enquanto eu viver, eu veja pouco do que eu desejo acontecer, ou talvez nada.
Isso também é ruim porque toca no ego. É uma lógica simples: se sinto que as pessoas parecem ser ruins e eu também sou uma pessoa, estou propícia a ser ruim também.
Claro que sei que não sou e ninguém é perfeito, mas o ego se sente machucado cada vez que isso é jogado na cara dele. Seria eu a vilã de alguém? Luto para que não.
Luto para não seguir nem por um segundo a mesma linha de raciocínio dos que discriminam, abusam, apontam o dedo e derrubam uma felicidade sendo construída.
E assim eu vivo, mas admito: às vezes é dificil pensar em tudo isso e dormir.

Anúncios
Utopia

Amor

Eu não sei se eu te amo. Se eu me importo sempre. Se eu te quero sempre.

Se amor for essa constante, esse desejar e pensar e se preocupar 24/7, aí eu não te amo. Mas se amor for algo mais próximo de lembrar do bem que você me faz, mas não a cada minuto, de não desejar você ardentemente toda hora, mas adorar sua presença e querer sua felicidade acima de tudo, então eu te amo.
Eu não sei ser posse, nem possuir. Talvez isso me confunda, te confunda. Não sei me doar, não sei te receber, mas sinto que a gente junto consegue formar algo muito bom. Talvez não sejamos um, mas dois que juntos -ou separados- formam algo belo e especial.

Amor

Bolo de Cenoura

Não, não é uma receita de bolo de cenoura. Eu venho falar de talentos e missões. Na verdade, grande parte do meu discurso é inspirado numa fala da Flávia Melissa, que cada um tem sua missão na Terra e sua missão pode ser até fazer o melhor bolo de cenoura que há.

Foi ótimo para mim ouvir isso, pois estamos numa época em que tudo é inovação: Se você é jovem você TEM que ter espírito empreendedor, TEM que ter novas ideias senão é só mais um. Claro que é muito legal que pessoas criem algo novo, empreendam. De fato, é uma das partes importantes para que o mundo vá para frente. A questão é que nem todos tem esse talento, esse dom ou essa missão (eu, sinceramente, creio que não tenho).

Hoje, não importa se você é muito bom executando uma tarefa, se aquela ideia não é genuinamente sua, você “não é tão bom assim”, acaba sendo desvalorizado. Se você trabalha desenvolvendo algo, você é legal. Mas se você tem ideias, você é super legal. Ainda que sequer trabalhe naquela ideia.

A questão é que nem todo mundo vai revolucionar a humanidade, vai criar a máquina do tempo e mais trocentas coisas muito legais. Mas, se você for bom fazendo uma coisa muito pequena, que talvez só uma ou duas pessoas reparem, ou só você mesmo repare, porque é algo muito simples e pessoal, mas é feito por você e TE faz feliz (como um bolo de cenoura), isso já um grande motivo pra você sorrir e saber que, sim, você faz algo especial nesse universo.

 

 

Bolo de Cenoura

Mudando demais?

Não sei bem o que acontece, mas tenho dificuldade de manter amigos. Não consigo me aproximar das pessoas e criar laços duradouros. As pessoas se afastam de mim e eu me afasto delas. Em algum momento eu simplesmente sinto que não caibo mais na vida daquele amigo e nem ele na minha.

Sim, tenho vários colegas e pessoas na minha vida que conheço há muito tempo e sempre que nos vemos há carinho, há aquela sensação de parece que o tempo nem passou. Mas não é algo que é mantido, não é aquela amizade de todo dia.

Talvez seja porque mudo demais por dentro, estou sempre me tornando diferente, aprendendo algo que me faz querer mudar mais e mais meu estilo de vida e é difícil manter as mesmas pessoas na sua vida quando o que vocês pensam é muito diferente. É engraçado porque nunca tenho novidades para contar: moro na mesma casa, continuo na faculdade etc, mas por dentro, parece que tudo mudou!

Por um lado é bom, porque eu amo essas mudanças, me sinto aprendendo e evoluindo. Eu realmente sinto que essas mudanças são para melhor. Por outro lado é ruim não ter aquela mesma pessoa pra sempre estar ali, o seu amigo. Outro ponto negativo é uma certa insegurança nos relacionamentos pois se não consigo manter amigos porque conseguiria manter namorados?

Bem, isso não é uma reclamação, é mais uma reflexão interna só que para o mundo rs. Acho que essa situação me incomoda, mas não o suficiente para eu querer realmente fazer algo, inclusive porque eu me sinto em busca do que sou e do que quero (nem sei se chegarei nesse ponto rs, mas pelo menos posso estar mais pertinho do que estou hoje), então talvez eu ainda não esteja emanando para o mundo o que gostaria e acabo não atraindo isso de volta.

Mudando demais?

Esperar do Outro

Já havia ouvido que não devemos esperar nada do outro, criar expectativas sobre o comportamento de uma pessoa. Faz sentido na frase e ultimamente tem feito sentido na vida também.

Tenho percebido que venho me decepcionado com pessoas ao redor. Não porque elas fizeram algo grave. Algumas de fato foram irresponsáveis, mas outras me fizeram ficar chateada por coisas do bobas, como ter uma opinião diferente da minha, ou simplesmente por ter menos conhecimento em certos assuntos e mais em outros do que eu.

Claro, é chato quando alguém não cumpre com seus compromissos, essa pessoa não está certa. É chato também quando alguém tem uma opinião que, digamos, te faz duvidar do caráter daquela pessoa.

Mas aí eu me pergunto: O que tem nisso que tanto me incomoda? Quais são os fatores dessa situação que me fazem ficar tão decepcionada e até mesmo brava com algumas pessoas? As atitudes dela? Também. Mas não só isso. Eu esperava MUITO dessa pessoa, esperava a mais do que ela tem a me oferecer.

O outro não leu os mesmos textos e ouviu as mesmas músicas que eu, passamos por dores e alegrias diferentes, contextos diversos de vida. Essa pessoa não sou eu. Então não posso esperar dela o que eu faria, não posso supor um comportamento. Supor que ela vá ser o que ela não é.

A minha conclusão disso foi que grande parte do incômodo que sinto vem de mim, e não do outro. Isso não significa não estar atenta e sempre relevar o que outros fazem de errado, mas não deixar aquilo me incomodar tanto a ponto de me consumir. Essa é só uma visão que tenho tido da minha situação atual. Aceito novas visões (e não vou ficar brava haha).

p.s: Quanto tempo sem escrever, que saudades eu estava de fazer isso!

Esperar do Outro

O que tenho aprendido ultimamente

Ok, esse é um post meio egoísta, ele é mais para mim do que para o público, mas vocês podem talvez concordar comigo, aprender ou me ensinar algo.

1- Saiba dizer não

Não quer sair com seus amigos? Quer curtir netflix ou poupar sua grana? Então fica no netflix. Poupa sua grana. Seu amigo tem um projeto super interessante e está empolgado que você participe mas isso não te interessa minimamente? Então diz que não vai rolar. Você vai deixar uma ou outra pessoa chateada, sim. Mas a sensação de estar fazendo algo “super legal” forçada é péssima, a última pessoa curtindo é você. Se poupe. e seja compreensivo quando levar um não também.

2 – As coisas não vem sem esforço

Não vamos falar das questões de que alguns são mais favorecido$, até porque já sabemos disso e a questão não é só dinheiro. Quer conquistar alguém que nem te olha? Dependendo da pessoa, vai ter que ralar. Quer manter um namoro legal? Vai ter que ralar e ter auto-controle. Notas boas, aprovação num concurso, dinheiro pra uma viagem. Vem de esforço.

3 – Pessoas vão falar de você, você vai falar de pessoas e é isso.

O ideal é cada um viver sua vidinha e deixar a do outro em paz, mas não é assim. As pessoas vão falar de você, porque você se veste com a roupa tal ou porque amanheceu certo dia de cara feia, porque começou ou terminou um relacionamento. Não importa. Vão falar. Lide com isso, mas não se importe absurdamente. Você vai acabar falando de alguém em algum momento também, acontece. Viva a sua vida.

4 – O mundo do facebook e do twitter é um. O mundo real é outro.

Já sabia disso, mas cada vez acho mais e mais diferente. Em tudo. Não tenho amigos homofóbicos, por exemplo, ainda bem! Então quando estou no facebook tá tudo bem, gays e héteros se respeitam, como deve ser <3. Mas basta colocar o pé nesse mundão real e ver como esse respeito não existe em tantas pessoas quanto você imaginava </3.

A fulana posta foto com a filha e é um amor de mãe lindo de ver. Mas na prática a pessoa não tem a mínima paciência com a criança e chega a bater num ser que nem dois anos tem. Aquele cara super legal, dentro de casa é super grosso com a esposa. Não inventei isso, estou falando de casos reais. Facebook ————- abismo ————- vida real.

5 – A mente é extremamente forte

Tudo a sua volta pode estar maravilhoso. Se você estiver num dia pessimista e seu cérebro estiver jogando desconfianças e chatices em você, já era. Assim, como num dia que você esteja pensando coisas legais, mesmo que haja situações ruins à sua volta, você vai se manter firme. É difícil controlar a mente, mas tente mantê-la saudável. Medite, trate do seu emocional, da sua parte espiritual, se isso for importante pra você. Tem condições de fazer análise? Faça. Pratique esse amor próprio.

Essas foram as cinco primeiras coisas que vieram a minha cabeça do que tenho aprendido durante os últimos meses, espero aprender mais e mais nos próximos 🙂

O que tenho aprendido ultimamente

ENEM: tem algo muito errado

O tema é manjado, eu sei. Mas tem ENEM todo ano, então todo ano dá pra falar. Não tenho conhecimentos profundos em educação, só sei como se dá o ingresso na universidade em um ou outro país além do Brasil. Mas basta olhar os vídeos das pessoas no ENEM pra perceber que tem algo muito errado.

enem logo
Um ensaio para a vida… Que vida então, né!?

Claro que muitos dos atrasos no ENEM e resultados ruins ocorrem por falta de responsabilidade ou real preocupação e interesse em fazer a prova, mas tem as exceções também. É muito louco ver alguém que vem estudando por um ano perder a prova e perder o ano inteiro de estudos. Não se sabe exatamente os critérios da pontuação do ENEM, que podem até ser bons, mas como saber? E temos as correções de redações duvidosas.

Eu, como estudante, vejo grande parte do meu processo educacional até aqui como uma grande loucura. Acho a forma que entrei na universidade – ENEM – uma outra loucura. A pressão que se coloca nas pessoas que vão fazer essa prova pra valer é também uma loucura. Dois dias de prova pra mostrar que seus anos de estudo valeram a pena. Se não for aprovado lá no SiSU, nada importa os 9 e 10 que você tirou no ensino médio.

É muito difícil discutir métodos de ingresso na universidade no Brasil. Todos sabem que o ensino público é diferente do particular, que há muita diferença entre as próprias escolas particulares. Que quem pode pagar cursinho tem mais chances de se dar melhor. Verificar o histórico escolar poderia mostrar o quanto aquele aluno foi dedicado, mas não garantiria que ele tem uma boa base escolar.

O que quero dizer e já disse aqui no texto, é que tem algo muito errado na educação brasileira, é um conclusão intuitiva, basta ver as reportagens sobre o ENEM, basta olhar pra trás e ver o quanto sua vida escolar poderia ter sido melhor. Aqui, pra você saber um pouco mais, você tem que se esforçar e muito, a escola não te dá base. Resta desejar boa sorte aos futuros ingressantes em universidades, que pra eles seja melhor do que tem sido pra nós nos últimos anos.

ENEM: tem algo muito errado

Fim de amizade?

fim de amizade ; friendship ending
Em algum momento, você precisa entender que algumas pessoas podem permanecer no seu coração, mas não na sua vida

Eu venho pensando em porque eu tenho deixado de querer a companhia de um amigo a quem antes eu era muito apegada. Passamos momentos importantes da nossa vida juntos, eu já precisei muito dele e ele de mim, mas hoje, parece que já não curto a companhia dele como antes.

Foi um sentimento novo e estranho pra mim, não desejar mais a companhia de um amigo. Acho que durante a minha vida, foi ao contrário, ou os meus amigos enjoaram de mim (rs) ou simplesmente fomos separados pela vida, cada um seguiu seu caminho. Esse último com certeza foi o principal motivo de muitas amizades terem acabado.

Hoje vejo amigas minhas se casando, formando uma vida completamente nova e diferente da minha e sei que, se a gente fosse conversar, não ia ser como antigamente, não somos mais as mesmas. Acho que é isso que está acontecendo comigo e com esse meu amigo, só que o processo está lento e talvez isso esteja me fazendo prestar mais atenção.

O assunto morreu, a gente não concorda mais como antes, o ânimo pra sair junto não é mais o mesmo – principalmente da minha parte. Percebo que aos poucos nossos objetivos e conceitos foram mudando. Nesse último ano, novas coisas aconteceram em nossas vidas, e isso nos fez mudar. Acho que “não gostar” não é bem o termo, mas a nossa compatibilidade não é mais a mesma.

Ultimamente ouvi falar em algo chamado faixas ou correntes vibratórias

As faixas/correntes vibratórias são campos de energia, formados por todos aqueles que pensam de uma certa maneira.
Fonte: Jornal do Cem

e pelo que entendi (posso estar falando a MAIOR besteira do mundo), pessoas que estão na mesma faixa tem uma semelhança em pensamentos, sentimentos etc, e pela lei da afinidade são atraídos. Talvez nossas faixas, minha e do meu amigo, não sejam mais as mesmas. É uma explicação? Quem sabe.

Quero o bem ao meu amigo e a todos os outros que passam pela minha vida, mas admito que a presença dele já não me faz tão bem como antes. Ainda não sei lidar com isso, não sei se isso vai mudar um dia, não sei a razão exata. Só queria dizer que se você, por um acaso, ainda que tenha muita consideração por alguém, sente que aquela pessoa não tem mais tanto espaço na sua vida, você não está sozinho.

Fim de amizade?

Insegurança?

don't lose yourself in your fearSabe quando as coisas na sua vida estão fluindo tão normalmente e supostamente você deveria estar de cabeça fria mas não está? Então.

Os mais esotéricos diriam que é porque eu sou capricorniana, logo, pessimista (não desacredito dessa tese, na verdade). Mas a questão é ver como a mente é forte, mesmo estando praticamente tudo certo no ambiente externo, a sua mente fica jogando frases do tipo “mas e se isso ou aquilo não der certo? não durar? etc etc”. É chato.

E, sabe, não dá pra fugir dos próprios pensamentos. Não sei se é uma mente negativa  tipicamente capricorniana, se é uma insegurança que até então desconhecia, medo de perder algo muito valioso. Não sei.

No momento, só quero me cercar de calma e energias boas na medida do possível, e não deixar o pessimismo tomar conta, porque sinceramente, ele não tem ajudado em nada.

Insegurança?

Selena

Selena

Selena Quintanilla-Pérez, ou somente Selena, para quem nunca ouviu falar, foi uma cantora americana cujas músicas foram majoritariamente em espanhol. Eu conheci seu trabalho através de um tributo feito à ela pela Jennifer Lopez (tem no Spotify e dá pra achar no Youtube também). Tributo pois Selena deixou este mundo com apenas 23 anos, em 1995, quando era considerada rainha da música texana.

Eu achei interessante porque, por algum motivo, gostei da música dela. Digo “por algum motivo” porque não é um estilo pelo qual normalmente me interesso. E achei mágico que, assistindo os vídeos dela no YouTube, vi MUITA gente com a mesma sensação sobre ela e suas músicas.

Fora isso, ainda existe um filme chamado Selena (tem no Netflix!), que conta sua história de vida e no qual a já citada JLo faz o papel de Selena. Achei o filme um amor, porque explora bem principalmente o romance dela com seu marido. E, pelo filme, dá pra perceber a pessoa legal que ela foi, o que é possível também ver pelos enormes sorrisos dela nos vídeos.

Bem, fica a dica. Beijos.

Selena